28 julho 2007

Sinal Mais e Sinal Menos

Estas nomeações são meramente pessoais, e nada têm a ver com a Organização do JAZZminde, tendo apenas por base aquilo que eu próprio vivi e senti como organizador do evento.
Por esse motivo optei por publicar, este meu critério, no Xarales, e não no Minde-Online, onde faço uma pequena análise final, e cujo blog tem funcionado quase como um porta-voz do evento.
E com sinal mais e sinal menos distingo as minhas nomeações :


Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro
Sociedade Musical Mindense
Rui Venâncio
António Cândido
Grupo de Colaboradores do JAZZminde


Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro
Uma colaboração cinco estrelas com um excelente e vasto programa artístico e de formação, que muito enriqueceu e valorizou a Festa da Música. Um trabalho bem coordenado, tendo o Menezes sido um interlocutor impecável. O CAORG mostrou que é um Conservatório de Música, mas também sabe ser uma colectividade de Minde. …E vai formar um núcleo de jazz.

Sociedade Musical Mindense
O mesmo se aplica à Sociedade Musical Mindense. Um excelente concerto na praça, o maestro João Carlos a mostrar os seus “pupilos” na SMM, e um excelente serviço de bar no festival de jazz, bem conduzido, explorado e orientado pelas dinâmicas Paula e Anabela.

Rui Venâncio
O Rui não estava no programa, foi “pescado” já na recta final, e acabou por ser a figura do festival. E bem mereceu !
Ele e a sua esposa realizaram um trabalho excepcional. Foi deles todo o trabalho de vídeo e efeitos especiais, bem como o equipamento utilizado. Cinco noites de gravações e projecções, e… como se isso não bastasse, ainda se aplicou numa bateria “à estreia” e com grande significado emocional na comemoração dos seus cinquenta anos de músico. Parabéns e Obrigadão !!! Para o ano contamos contigo.

António Cândido
É um homem fundamental em qualquer coisa que se realize em Minde. Com uma vontade férrea, está sempre disponível “na ganga” para ajudar a desenrascar o que quer que seja.
É pena estar “pouco acompanhado” nalgumas instituições e não estar integrado noutras. Tinha dado um jeitão ao Vitória, e mesmo assim foi sempre ele que arrumou as cadeiras, quando o serviço devia ser de outros.
Um bem-haja, Ganga !!

Grupo de Colaboradores do JAZZminde
O grupo demorou a acordar, mas na hora, a malta respondeu presente.
O Bernardo, vindo das Canárias, deu uma ajuda das grandes assumindo responsabilidades, O Simão tratou dos palcos (e bem), O Frade foi um faz tudo, o Henrique desenrascou, e de que maneira, a parte de iluminação do jazz, da aparelhagem de som na praça, da iluminação e som no cine-teatro, etc, etc, e ainda teve tempo para fazer reportagem e tirar umas fotos.
A Joana foi a fotógrafa de serviço, a Tânia, a Alda e a Kátia trataram das lojas e vendas, a Sra Eulália serviu comida a toda a trupe, e muitos outros houve que colaboraram, como o Gonçalo, malta dos Bandalheira, o Tiago, etc., etc. Para todos um grande Abraço.


Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Minde
Serviço de Bar do VFCM
Serviços da Junta de Freguesia de Minde
Colaboração Civil e Comercial de Minde


Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Minde
Ainda estou para saber o que se passa com a Fanfarra dos Bombeiros. Ainda há cerca de dois meses organizaram um Encontro de 10 Fanfarras em Minde, e agora dizem que a fanfarra dos bombeiros está extinta.
A mesma organização a quem agora deram esta resposta, foi a mesma que no ano anterior se estafou a trabalhar para entregar doados aos Bombeiros Voluntários de Minde a quantia de 600 contos. Dá para reflectir !!!

Serviço de Bar do VFCM
Este ano, a organização tinha decidido que possíveis receitas reverteriam em benefício do CAORG e do Vitória. Para além disso ainda foi proposto ao VFCM a exploração do bar de todos os eventos a realizar na Praça 14 Agosto.
Parece que foi um frete que impingimos à malta do Vitória. O tempo não ajudou, mas a vontade e organização também não foi nenhuma. Só água e imperial, não é bar que se apresente. Ninguém do VFCM colocou uma mesa na dita esplanada, e muito menos trataram dum serviço de comes e bebes. Só na noite do Rock poderiam ter facturado o triplo.

Serviços da Junta de Freguesia de Minde
Apesar de colaborar como entidade patrocinadora, o apoio da JFM limitou-se à construção do pára-vernto na praça e ao transporte das cadeiras e mesas num camião todo sujo de alcatrão. Nada mais.
Excepto o referido A. Cândido, ninguém apareceu para ajudar ou disponibilizar pessoal. A fonte luminosa esteve sempre uma nojeira, enquanto que alguns funcionários estavam no café. A iluminação caíu no ridículo de se apagar, no automático, durante o Rock e assim teve de ficar. As casas de banho fechadas, etc. etc. Acho que um evento destes merece mais apoio logístico. Só me lembrava “saudoso” dos tempos do Pardal. A disponibilidade era outra.

Colaboração Civil e Comercial de Minde
Foi o ano em que menos firmas de Minde colaboraram. Aliás, entre os principais patrocinadores comerciais, apenas um é de Minde e da firma de um organizador.
Sabemos das dificuldades de Minde e também não fazemos peditórios, mas há coisas que não custam assim tanto.
Existe muita gente que não quis colaborar por manifesta má vontade. Passamos recibo, e muitas vezes basta solicitar aos fornecedores de Minde ou sedes de filiais. Houve quem o pudesse fazer, sem qualquer custo pessoal, mas…
Outros grandes grupos, como o BES, o LENA, os Supermercados, etc, etc, também nunca lhes vimos a côr.
Assim é difícil !!!

3 comentários:

Anónimo disse...

Oh Pedro o BES não deu nada porque não pode!
Então não viste os prejuizos que apresentaram no primeiro semestre deste ano? Não apoquentes os homens; ralados andam eles para ver se se aguentam!

Anónimo disse...

agora percebo, o dinheiro do bes era para pagar aos bandalheira...

Carola disse...

Atão e eu?