27 setembro 2007

Vulcão dos Capelinhos



Na madrugada do dia 27, com a terra balançando continuadamente, os "vigias da baleia" do Costado da Nau, a escassos metros acima do Farol dos Capelinhos, notaram o oceano revolto a meia milha da costa, para os lados de oeste. Assustados, desceram ao farol, alertaram os faroleiros e os seus companheiros de baleação, no porto do Comprido. Não era baleia, nem cachalote nem outro bicho qualquer – o mar entrava em ebulição e havia cheiros fétidos!!
- é assim que o «site» do vulcão dos Capelinhos, na ilha do Faial, Açores, relata a erupção que hoje faz 50 anos.




Chamaram-se as autoridades e lanchas e botes baleeiros zarparam para o porto do Castelo Branco. As famílias fizeram trouxas e foram juntar-se aos baleeiros.
Às 7 horas o oceano já "fumegava" abundantemente e às 8 horas surgiram as primeiras cinzas, como jactos de criptoméria. Assim começou a fase submarina do Vulcão dos Capelinhos. (...)

O Vulcão dos Capelinhos é um dos mais paradigmáticos do mundo da Vulcanologia não só pela continuidade das respectivas observações mas também pela originalidade dos seus processos evolutivos. Ou seja, Capelinhos foi o exemplo sequencial do nascimento e desenvolvimento das ilhas açorianas: iniciou-se como vulcão submarino e terminou como vulcão terrestre.
Toda a descrição no site http://www.vulcaodoscapelinhos.org/



Oe 50 Anos do Vulcão dos Capelinhos originaram um grande programa de Comemorações nos Açores, onde se está a construir um Centro de Interpretação de Vulcanologia de grande importância internacional.
Ver o cxcelente Site Oficial »»»



Click para Visionar ou Desligar / Double-click = Écrã Total

2 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Era bem miúda mas lembro-me das notícias e das imagens que via, sobretudo na Flama, revista comprada pelos meus tios mais novos.
Já lá fui observar de perto - é desolador e ao mesmo tempo soberbo!
Boa lembrança...

pm disse...

Ai, a Flama !
Era miúdo, mas ainda me recordo.