24 novembro 2006

Novamente o Mau Tempo

Os Telelejornais bem nos avisaram que hoje iríamos acordar com mau tempo. Chuvadas intensas e ventos que podem atingir os 12o Kms/h é o que nos espera no Note e Centro do país.
O Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC) já alertou para a possibilidade do aumento dos caudais dos rios e decretou o Alerta Laranja para a maioria dos distritos de Portugal. Ao fim da tarde de hoje e amanhã haverá um desagravamento da intempéride, mas no Domingo voltarão as más condições atmosféricas.



Se ainda não apanhou a azeitona, desimagine-se de tal porque estas chuvadas e vento será o fim da mesma. A minha já está no lagar.
Contentes devem estar os canoístas porque a mata (Lagoa de Minde) está a encher a olhos vistos.
Tome precauções, principalmente na estrada, e no distrito de Santarém já existem vias rodoviárias interrompidas.

5 comentários:

Anónimo disse...

Quem é que tinha razão quanto às tílias da Praça 14 de Agosto?
Aqueles que as defendiam a todo o custo, por causa dos odores magníficos, o que diriam agora se a queda da tília tivesse provocado um acidente grave?

Amante de tilias hirtas disse...

Morreu mais uma tilia da Praça 14 de Agosto?

Nao ha problema. A defensora do cheirinho das tilias vai replantar, oferecendo a nova tilia ao povo de Minde.

Ai que cheirinho que me faz tanta falta!

Sem este cheirinho nem sou mindrica!

pm disse...

Por cada tilia que cair vamos plantar duas

Anónimo disse...

Tá na altura de mudar as tílias da praça para outro tipo de árvore.

Menos frondosa e de folha perene.

E que tal uma reflorestação na freguesia toda? Depois de todos os incêncios nos últimos anos o que é que a Câmara e a Junta fizeram?

Que se saiba, NADA!

Anónimo disse...

Parece que os defensores das tílias ainda não se convenceram de que não são árvores que, quer pelo seu porte, quer por terem folha caduca, quer pela propensão que revelam para o apodrecimento do tronco, não são árvores que se ajustem à Praça 14 de Agosto.Só um cego é que não vê o perigo latente que as tílias representam para os utentes da Praça como comprova a recente queda de uma delas.
E se a Tília, longe vá o agoiro, caisse sobre pessoas? E se caísse sobre automóveis?
Quem pagaria o prejuizo?
O odor que as tílias espalham no verão (e só no verão) não compensa o lixo que pruduzem nem o perigo que representam.