16 maio 2006

Net Center de Minde


Recentemente abriu um centro de internet no Covão do Coelho, mas há mais de dois anos que já existe um em Minde. E é sobre este que vou escrever umas linhas.
Ao abrigo de um protocolo estababelecido entre as Câmaras Municipais e a U.E., com o fim de intensificar a utilização deste grande meio de comunicação, que é a internet, a U.E. financia os custos da sua instalação e funcionamento durante quatro anos.
Quantas pessoas de Minde já utilizaram este centro ? Em dois anos, certamente que algumas, mas será que o centro cumpre o objectivo para que foi criado ? Tenho a certeza que não.
Escolheram para sua localização uma pequena loja nas trazeiras do mercado, argumentando que a renda era de borla e que estava perto das escolas, quando as escolas, hoje em dia, já estão dotadas desse tipo de equipamento (ou deviam de estar), e quando estes centros não se destinam a servir as escolas, mas sim a população em geral.
Resultado : Criou-se uma sala de jogos informatizada, utilizada quase sempre pela mesma miudagem, e onde estão dois funcionário a inscrever quem joga primeiro e a contabilizar o tempo que podem jogar. Eu sei que a ocupação lúdica dos tempos livres também pode ser útil e pedagógica, mas não foi para isso que a U.E. financia os Espaços Internet.
Estou certo que se um cidadão comum quizer fazer um trabalho naquele local, em pouco tempo verifica que não há quaisquer condições para tal. Já sucedeu comigo.
Falta de privacidade e com ambiente inadequado (para não falar do horrível mau cheiro a transpiração que se verifica no Verão), este centro é um desperdício de verbas.
E quando se esgotarem os 4 anos ? Qual o futuro do Espaço Internet ?
Se querem revitalizar o Centro de Minde, não seria mais lógico uma localização central, como (por exemplo) as instalações dos antigos correios ? Eu sei que este local tem dono e o seu possível aluguer tem custos, mas, certamente, a sua utilidade seria muito maior, e com um pouco de imaginação, talvez se conseguisse minimizar esses custos.
Conheço locais similares onde instalaram pequenos bares (explorados pelos funcionários), anexaram o posto de turismo, uma biblioteca, fomentaram cursos básicos de iniciação e formação, desenvolvem sites para a Junta de Freguesia e outras colectividades, etc. etc. Em resumo, potenciaram e rentabilizaram esses mesmos funcionários.
Será que o Espaço de Internet em Minde trouxe quaisquer benefícios à população? Muito poucos. Porque não tem instalações dignas e propícias à sua utilização. Uma localização mais central e vísivel certamente atrairia muito mais utilizadores, e (repito) foi para isso que a U.E. abriu oas "cordões à bolsa".
Aposto que daqui a 2 anos este Net Center de Minde se vai "esfumar nas cinzas", sendo o fim da net em Minde e a eliminação de mais dois postos de trabalho. A ver vamos.
Se fosse estruturado devidamente, com instalações condignas, de modo a auto sustentar-se com uma utilização ùtil, talvez o seu futuro fosse mais risonho, e, de certeza, que já haveria muito mais cidadãos de Minde a ter contacto com a Internet. (Até aqueles que pensam que a net é um "bicho de sete cabeças").
Não saber aproveitar os recursos que nos oferecem é pior que não os ter, mas ainda faltam dois anos e, se quizerem fazer com que este Net Center seja útil, algo se poderá fazer e modificar. Necessário será "que não se meta a cabeça na areia" e que se pense o futuro.
No meio de tantos executivos que a CMA tem, haja alguém que se preocupe um pouco com estas coisas. Dêm uma volta pelo país e vejam o que os outros fizeram. Mas copiem os bons exemplos e não os maus, porque esse já é o n/ caso.

4 comentários:

vmcs disse...

Olá Mr. PM

Tens razão. O Net Center de Minde é uma coisa boa que os Icas fizeram. Mas talvez seja a altura de repensar a sua localização e o seu melhor enquadramento.

Vítor

PS: Tás a ver Mr. P (tem pinta chamar-te assim). A participação do pessoal é pouca.

Muitos cuscam, poucos escrevem.

Muito cagaço há em Minde para dar opiniões!

Cagaço até de um novo fenómeno que está a ressurgir em força: quem é que anda a "bufar" quem!

Preparam-se já estratégias para as próximas eleições, pois ao que parece, a malta já interiorizou que
os ICAS neste formato já "eram".

Assim, não estranhes que te aconteça o mesmo que me está a acontecer a mim. Toda a gente vai começar a desconfiar de ti, especialmente os políticos.

A estas horas já se perguntam também em relação a ti:

Mas afinal o que é que este gajo quer?

A continuares a escrever assim, os politicos vão olhar-te como mais um concorrente futuro. E vais começar a ser torpedeado.

Vai por mim que já sou cota e já ano há uns anos nisto.

De qualquer maneira não desistas. Isto dá gozo. A mim dá-me. Gosto de dar opiniões, assinando por baixo.

E aprende-se muito da natureza humana a começar por nós próprios.

Enfim, a conversa vai longa. Sabes que mais?

Que se lixem todos + eu!

Este final foi fixe. não foi?

Chance man disse...

lol

Porra!
Ainda agora foram as eleições e já andam a pensar em listas?!!

E que tal fazer-se alguma coisa até 2009/2010...?!!

Não querem pensar nisso só no início de 2009?

Embora até seja interessante fazer conjecturas.

o vosso,
Chance man

REFERENDOS disse...

ACERCA DE REFERENDOS

Não tem muito a ver com o tema, mas já que esta questão foi levantada pelo MINDERICO, aqui deixo um comentário acerca do tema.

Antes de mais, penso que seria curioso saber a opinião dos membros das forças políticas do concelho de Alcanena acerca do referendo local que o Minderico está a propor para decidir acerca da construção das sedes e da zona industrial junto da A1, no norte da freguesia de Minde.
Se a memória não me atraiçoa, o representante do Partido Comunista (Ricardo Nogueira) deu no debate a sua opinião acerca disto. É caso para dizer que o PC é realmente um partido muito democrático…

Esta opção tem de ser encarada MUITO SERIAMENTE pela população de Minde. Perante as questões que se colocam e que dividem completamente a opinião da terra, e com indícios que a opinião maioritária da população é contrária ao que quem está no poder decidiu, o timing não podia ser o mais adequado!

Quanto aos referendos em si, algumas notas, de modo a ajudarem quem quiser debruçar-se sobre a questão.

1. Se a participação dos eleitores da freguesia no referendo for superior a 50%, o resultado terá EFEITOS VINCULATIVOS. Por outras palavras, se metade de Minde votar no referendo, o resultado dele terá de ser respeitado, aprovado e EXECUTADO pelos órgãos locais. Mesmo que não tenha efeito vinculativo, terá sempre de ser levado em conta.

É aqui que os referendos se distinguem das CONSULTAS LOCAIS (que são pouco utilizadas no nosso concelho).

A não observância do resultado do referendo pela freguesia implica a sua DISSOLUÇÃO.

Em Minde, terão de votar 1400 PESSOAS para o referendo ser vinculativo. Alguém duvida que muitos mais votarão?

2. O referendo só poderá ocorrer se a assembleia de freguesia DELIBERAR nesse sentido FAVORAVELMENTE. Parece existir aqui a possibilidade de a freguesia impedir o referendo, por juízo de mera oportunidade…

3. O referendo só pode ter por objecto questões de relevante INTERESSE LOCAL que devam ser decididas pelos órgãos municipais ou de freguesia e se integrem nas suas competências. Aqui há 1 dificuldade, pois isto poderá obrigar à convocação de um referendo concelhio, embora hajam formas de obviar a isso.

4. O refendo inicia-se com a convocação, através de determinado nº de eleitores. Em Minde, 300 ELEITORES. No concelho, cerca de 530.

A iniciativa será reduzida a escrito, incluir a pergunta (pode ser mais que uma ou mais que um assunto) a submeter, o nome, BI e assinatura de todos os proponentes. Há outras obrigações formais a observar, sob pena de o Presidente da Assembleia de Freguesia a rejeitar liminarmente.

5. A iniciativa é depois apreciada pela assembleia de freguesia que a poderá DELIBERAR, REJEITAR ou ARQUIVAR. Segue-se a fiscalização da constitucionalidade pelo Trib. Constitucional. Depois de marcado, pelo órgão executivo (junta), há um período de campanha eleitoral antes da votação propriamente dita. A campanha e a votação decorrem de forma análoga às eleições para a junta de freguesia;

6. Os referendos são um direito alienável e absoluto das populações. A PRÓPRIA UNIÃO EUROPEIA OS DEFENDE E FOMENTA. Basta ver o Anexo II à Recomendação 19/2001 do Conselho de Ministros do Conselho da Europa.

7. Em Portugal, só existiram até 2005 dois referendos: Em Serreleis, Viana do Castelo, 76% dos eleitores votaram e disseram “não” à construção de um pavilhão polidesportivo contíguo ao salão paroquial; Em Tavira, à pergunta “Concorda com a demolição do antigo reservatório de água do Alto de Santa Maria?”, apenas 36% dos eleitores se pronunciaram, de forma negativamente (56%).

O ponto 7 até nos deixa a pensar que, se calhar, já deviam ter havido outros referendos locais em Minde. Alguns exemplos:

– Concorda com a mudança do nome do cine-teatro de Minde de X para Y?
– Concorda com a demolição das escolas velhas junto do Coreto?
– Concorda com a construção da ETAR no local previsto pela Câmara Municipal de Alcanena, junto à estrada Minde-Mira, no local do Mirão?

E outros exemplos haveriam, que a minha memória para estas coisas é curta.

Sempre ao dispor,
O CANDIDATO

Anónimo disse...

What a great site, how do you build such a cool site, its excellent.
»