26 setembro 2006

Tão perto e tão Diferente

Desde garoto, sempre gostei da máxima :
"Viver não custa, custa é saber Viver".
O mesmo se pode aplicar a : governar não custa, custa é saber governar".
E bons governantes é coisa que temos visto pouco, ultimamente. Aliás, os governantes nem todos governam da mesma maneira. Alguns têm sistemas. Pelas n/ bandas, calhou-nos o "sistema do secretismo".

Enquanto que, no n/ concelho, as reuniões são secretas, não se edita um boletim nem se publicam actas, praticando-se o silêncio absoluto e "tomem lá que nós os chefões já decidimos assim, vocês não têm nada a ver com isto"; outros locais existem em que as grandes decisões são discutidas e analisadas com as populações. São apenas conceitos diferentes de "governar".

Mesmo aqui ao lado, na Igreja antiga de Mira de Aire, a C. M. de Porto de Mós, promoveu uma Assembleia Municipal extraordinária para discutir novas idéias para Mira de Aire, prioridades, estratégia do concelho, zona industrial, orçamento, apoios concretos a iniciativas e colectividades, etc. etc. Foram até distribuídos mapas, orçamentos e outras informações.

São grandes as diferenças do "sistema", não são ?
Por isso é que Porto de Mós já construiu a sua zona industrial e a de Mira de Aire está quase concluída. Por isso é que em P. de Mós a taxa do IMI praticada é a mínima e em Alcanena pagamos a taxa máxima.
Por isso ...
As crises afectam todos os concelhos. Mas uns são mais afectados do que outros, principalmente quando a infecção está lá dentro.

8 comentários:

Anónimo disse...

A Câmara de Alcanena, coitada, não tem dinheiro!
Por isso só pode arranjar a rua onde vai morar o vereador João José!Eu compreendo dado que se trata de uma rua muito movimentada!
Também soube que a Junta de Freguesia da Serra de Santo António solicitou à Câmara a contratação, durante 1,30 horas, de uma auxiliar para acompanhar os alunos da Primária durante a hora de almoço. Resposta da Câmara pelo assesor, ex vereador : não há dinheiro.
Com tantos vereadores a mamarem da teta e com um assessor ex vereador têm a lata de dizer que não há dinheiro para uma responsabilidade que é da Câmara. E se há algum acidente, o diabo seja cego, surdo e mudo, durante a hora do almoço?

Anónimo disse...

A junta da serra também andou a pedir resguardos para as paragens de autocarro das crianças e sabem qual foi a resposta da Câmara, a um pedido tão exorbitante?!

Não há dinheiro.

Mas dinheiro para andar a pagar sardinhadas nos olhos de água, como aconteceu neste fim-de-smana, já há.

E, mesmo nessa sardinhada, as muitas pessoas que lá se encontravam, a maioria já entradotas, criticaram abertamente o conceito de prioridades desde executivo...

Anónimo disse...

E o Marruas,o menino de ouro e outros mindricos sempre a apoiar e a dar cobertura ao Azevedo.
Tenham verginha na cara.

Anónimo disse...

Verginha na cara? Só se for na verga!

Anónimo disse...

As obras continuam em bom ritmo na rua do vereador João José Silva.
Proponho que aquela movimentada artéria se passe a chamar "Rua do Sr. Vereador Silva", mas estou aberto a outras sugestões.

luis achega disse...

Independentemente de quem lá vive, considero que essa rua já devia estar alcatroada ainda antes do sr. Vereador João José ser vereador. Antes tarde que nunca.

Anónimo disse...

Pois claro. É uma rua importante e onde mora muita gente. E as outras ruas, em muito pior estado e onde moram muito mais pessoas e há muito mais tempo?
O vereador João José devia ter vergonha porque nunca se vai livrar da fama de se ter aproveitado do cargo

Anónimo disse...

As obras na rua "Vereador Silva" continuam em bom ritmo. Sugiro que, para o sr. vereador ter melhores condições, se coloque na rua uma alcatifa em vez do incómodo alcatrão.