13 junho 2006

Devolvam a Vida ao Centro de Minde

Já passaram mais de seis meses desde a inauguração das vergonhosas obras de requalificação urbana de Minde e os trabalhos de reparação das mesmas ainda não pararam. Primeiro foi a reparação pontual de algumas deficiências, depois foi a alteração do trânsito nalgumas ruas e a construção da espécie de rotunda na Av. J. A. de Carvalho. Seguiu-se a repintura dos candeeiros enferrujados, e agora chegou a vez do pavimento da Rua Dr. Totta. Pelo meio ficou o “tira e torna a colocar” de prumos na Praça Alberto Guedes.

Será que os responsáveis sabem o que é que querem e têm alguma noção do que é necessário em Minde? Governa-se ao sabor do vento.
Como é possível que ao fim de seis meses o mobiliário urbano esteja todo enferrujado e a necessitar de pintura ? Onde é que estava a fiscalização e o controle de qualidade quando as obras foram feitas?
O que interessava é que as obras fossem inauguradas antes das eleições, e o resto é conversa.
Isto só revela que os responsáveis pela autarquia e pelas obras do concelho não têm o mínimo de competência para desempenhar os cargos que ocupam. Para mim, nem como serventes tinham trabalho.
Uma obra que custou quase 400 mil notas das antigas merecia uma maior atenção e melhor planeamento. Mas como o dinheiro não era deles estiveram-se borrifando para Minde e para as obras. Os contribuintes que “comam e calem”.

Um Concelho, tão pequeno, que tem um presidente, quatro vereadores a tempo inteiro, adjuntos e um monte de secretários, teria forçosamente de ser melhor gerido. Mas os n/ autarcas já deram provas que não estão no poder para governar em prol do desenvolvimento do Concelho, mas sim porque os ordenados são altos e os cargos têm vantagens.
As preocupações deste executivo são escolher carros novos topo de gama para “botar figura e andar bem montados”, e em arranjar bilhetes para ir à Alemanha ver os jogos do Mundial. (De certeza que estavam todos às 9 horas de 2ª Feira no local de trabalho).
E o Zé Povinho é que paga.

Os n/ autarcas, com ordenados principescos, apenas se preocuparam em ganhar as eleições e agora é viver “á sombra da bananeira” e esperar mais três anos para voltar a fazer alguma coisa.
Esquecem-se que são simples funcionários públicos e consequentemente trabalhadores ao serviço das populações e dos contribuintes.
Já viram alguma obra ou projecto deste executivo, com “pés e cabeça”, para que o Concelho de Alcanena saia deste marasmo em que se encontra? Eu não. (se calhar ando distraído).

Mas nós, cidadãos, também temos grandes culpas no cartório. “Comemos e calamos” e quando eles vêm a Minde ainda andamos a bajulá-los para ver dão alguma esmolinha para as nossas colectividades. Somos uns pobres de espírito, adeptos do deixa andar e do salve-se quem puder. Só quando os casos ou o “azar nos bate à porta” é que nos começamos a preocupar com os assuntos.
Somos uma “geração rasca” que se conforma e limita a dizer que a culpa é da crise e que esta está por todo lado. Mas as crises também se combatem.

E os dirigentes da oposição? Onde é que eles estão ? Só são políticos nas horas de eleições para conseguirem também um lugar no “poleiro”? Não têm obrigação de alertar o povo e governantes para o que está mal ou bem feito? Também não os tenho visto.
Em Minde, parece que a oposição é só feita pelo Portal Minderico e meia dúzia de carolas, como eu, que não têm receio de dizer o que pensam.

Ando indignado, e casos como o que aconteceu ao Zé Achega ainda me revoltam mais. Só foi possível porque o centro de Minde está deserto, e para isto muito contribui a remodelação que fizeram à circulação automóvel, assim como o imobilismo e falta de desenvolvimento do concelho. E, quer queiramos, quer não, isto tem responsáveis. Os comerciantes do centro de Minde que o digam.
Qualquer dia existem mais estabelecimentos para alugar do que ocupados. Antigamente isto era impensável.

Aos autarcas, deixo um conselho :
Parem, olhem, escutem e pensem (se é que sabem fazer alguma destas coisas), e aproveitem as obras na Rua Dr. Totta para devolver a vida ao centro de Minde.
A Rua Dr. Totta não precisa de estacionamento privado para meia dúzia de residentes (contra mim falo) mas do trânsito nos dois sentidos (antigamente também lá se estacionava, mas sem carácter fixo e de garagem privada).
A Praça Alberto Guedes precisa de um corredor de passagem, e os prumos, que os levem para Alcanena. Não precisamos desses empecilhos para nada.
Devolvam a vida a Minde.

9 comentários:

Anónimo disse...

Caro PM,
Estou absolutamente de acordo que a rua Dr. Totta deve ter dois sentidos como antigamente. Estes políticos não percebem nada disto.
Faz-lhe um desenho para ver se eles entendem.
Um abraço

da silva disse...

Realmente estes Icas trabalham como se fossem alentejanos. Minde ficou uma porcaria com estas obras.
Se fosse preciso alguém agarrar num carro e ir atrás dos assaltantes do estaminé, primeiro era preciso dar duas voltas a Minde. Isto é uma vergonha.
Aprecio a tua frontalidade ao falar nestes problemas. É preciso mais gente com eles no sítio.
Bom trabalho.

Anónimo disse...

O dedo na ferida.

Os meus parabéns ao PM por este texto. Vai ao cerne da questão!
Quanto às obras e ao trânsito, assino por baixo o que ele aqui escreveu e o que outros escreveram, no jornal de Minde e, em menor medida, no portal Minderico.

E quanto aos políticos da oposição?
Depois das eleições que tivemos, em que parecia que Minde, enquanto terra, estava condenada ao seu fim, em que se digladiaram por tudo e por nada, onde anda a oposição?

Onde andam os candidatos à junta pelo PSD? O Gilberto Carvalho e o Vedor? Sendo certo que o 1º deverá ser daqueles referenciados como os nossos políticos, dado pertencer às estruturas do PSD local. Partido que, diga-se de passagem, é a Dra. Ana Cláudia mais um deserto… Onde estão os inúmeros membros do PSD de Minde?

E o Luís Pires, já deu a sua opinião, passe embora o período de recolhimento a que se remeteu?

Quanto ao Eng. Meneses, se nas eleições nada disse, por agora continua mudo e calado, com excepção de uma carta enviada ao portal Minderico onde se trocava de razões com o seu coordenador e, admito, também colocou o dedo na ferida em relação às colectividades. Mas, convenhamos, é pouco, muito pouco… Não tem opiniões? O CAORG não deixa?!

E o PCP? O Ricardo Nogueira, Nuno Frade e companhia? Não tecem opinião nenhuma quanto a tanta coisa que se anda a passar e a debater? Os representantes não abrem a boca na assembleia municipal?

E os candidatos do CDS?

E os restantes “políticos” de Minde, filiados e não filiados, de que o coordenador do portal Minderico tanto fala? Onde andam?

funcionário da caixa agrícola do mirão

vmcs disse...

Há cerca de uma semana perguntei a um político do Concelho, actualmente "retirado", porque é que os Políticos quando instados a pronunciarem-se sobre determinados assuntos (no caso os 2 referendos na Freguesia de Minde), se recusavam a responder.

E veio finalmente a explicação que me faltava para compreender esta conspiração do silêncio em que vivemos no Concelho de Alcanena:

Os Políticos consideram que, ficando calados, perdem menos do que se falarem!

Fiquei siderado! Vejam bem o anjinho que eu sou!

Vítor

zclio disse...

E o caso da rosa do talho, em que os bombeiros não abriram a passagem para a praça para a socorrer (terão deixado a chave em casa).
E grassa a impunidade

luis achega disse...

Será que este actual executivo camarário vai voltar a por estas ruas novamente com 2 sentidos???
Vou acreditar que sim. É obrigação deles zelar para o bem da nossa terra e também de todas as outras localidades do concelho.

Mas também é verdade que antes do início da obra, todos nós sabíamos que estas ruas iriam ficar só com um sentido, Eu próprio me questionei: "se calhar a rua Dr. Totta até nem fica mal só com um sentido". Mas depois da obra estar feita, verifiquei que não ficava bem.
Mas quem sou eu para avaliar quais os sentidos das ruas da nossa terra??? O que eu sei fazer bem é camisolas de malha, agora planeamento de sentidos de ruas, não sei, mas deve haver quem saiba, e num projecto onde se gastou 400 mil notas das antigas, como diz o PM tudo deveria ser muito bem planeado.
Temos como exemplo, as árvores das duas Praças. Têm que ser regadas a Balde. (pelo menos as mais pequenas, pois ninguém gosta de ver uma árvore murcha em frente à sua casa ou ao seu estabelecimento comercial).
Outro exemplo é o “repuxo de água” na praça 14 de Agosto: Está muito bonito sim senhor, mas nem sequer a iluminação foi planeada, pois se observarmos com atenção, no interior vemos lá umas calhas de plástico branco para poder passar os fios de electricidade, dificultando assim a sua manutenção e limpeza. Como estes exemplos, deve haver muitos outros, mas acredito que também haja obras bem feitas.

“Mas os n/ autarcas já deram provas que não estão no poder para governar em prol do desenvolvimento do Concelho, mas sim porque os ordenados são altos e os cargos têm vantagens.”

Meus amigos: ainda é tempo de provarem que não é bem assim. Preocupem-se com os problemas da nossa terra. Há males que vêm por bem. O que aconteceu com o meu primo Zé Manel pode e deve ser um incentivo para voltar a por o centro de Minde com o mesmo movimento que tinha antes.

pm disse...

Olá Luís,
Louvo a tua atitude de assinares com nome próprio aquilo que dizes e pensas. Assim "eles" não podem dizer que isto é apenas a opinião de meia-dúzia de anónimos e sem qualquer valor expressivo.
Não critico o anonimato, mas por vezes é neccessário mostrarmos que as opiniões têm rosto.
Sobre as calhas à vista no "repuxo da praça" também já tinha reparado, e se for necessário ainda faço uma extensa lista de asneiras deste género que foram feitas. De camisolas e malhas precebo pouco, mas de obras julgo preceber qualquer coisa. Também não é necessário ser nenhum especialista para perceber mais do que aqueles que esbanjaram o "nosso" dinheiro (e não foi tão pouco como isso) a fazer a porcaria que fizeram. Contudo, alguém ficou a ganhar e bem "abotoado". Como se justifica que o mobiliário urbano tenha vindo todo de Espanha quando o governo aconselha: «Prefira produtos Made in Portugal».
Isto dá que pensar...
Um abraço,
PM

Catarina Almeida disse...

Concordo que muita coisa tem sido mal feita e, principalmente feita de animo leve, sem estudos adequados feitos por entidades competentes. A muita asneira se tem assistido. A muita inércia e passividade por parte da autarquia.
Mas uma coisa é certa: em todas as localidadesse verifica a reestruturação do transito e a restrição deste nas centros históricos. Masmo por essa Europa fora. É sinal de evolução e de ordenação. Desculpem por discordar mas é esta a minha opinião, e uma democracia é isto mesmo, podermos falar livremente. Considero que a reabilitação do centro de Minde era necessária, mas não foi, de todo, bem planeada e estruturada. Quem o fez deveria perceber tanto de urbanismo quanto eu. Mas, meus senhores, os centros das vilas e cidades não devem ser atafulhados de carros. Agora que não está bem feito, não está!

pm disse...

Olá Catarina,
Claro que todas as opiniões são bem vindas, e da discussão nasce a luz.
Eu não defendo o estacionamento anárquico dos carros. Isso é o que sucede agora se repararmos no estacionamento na praça. Defendo é uma circulação mais de acordo com as necessidades da terra.
E por falar em atafulhamento, repara na quantidade de carros que estão sempre na rua Dr. Totta. Alguns, quase semanas inteiras. Nem durante as procissões consegues tirar uma fotografia sem automóveis como pano de fundo.
E já agora : A expressão "centro histórico" é um pouco forte para esta zona. Os turistas têm muito espaço para circular.
Manda sempre,
PM